POR UMA EDUCAÇÃO INTEGRAL

crayons_education_72ppi– Há dias, alguém me dizia: “Já reparou na catástrofe que está a devastar o nosso querido País?!  Parece que já ninguém é sério, que todos são corruptos. A campanha eleitoral é uma vergonha de maledicência sem abordar as questões europeias. São estes deputados que vamos eleger ?

– Há dias, também ouvimos a notícia de que foi aprovada uma lei para se distribuir gratuitamente contraceptivos nas escolas. Não é isto empurrar os jovens para a imoralidade!? Pergunto: Não é desta maneira que se levam os jovens para a irresponsabilidade e para uma sociedade sem valores?! Porque é que não se preocupam com programas formativos e porque não ajudam os jovens a encontrar, e até a criar, o seu emprego? Seria bem melhor para eles e para todos.

– Estamos a chegar ao fim do ano escolar e aproveito a oportunidade para lembrar aos pais a importância de inscrever os filhos na disciplina “Educação Moral e Religiosa Católica” que tem por objectivo “uma autêntica educação integral” – uma educação para os valores da vida, da liberdade, da justiça, da responsabilidade, do respeito, do amor, do sentido comunitário, da cidadania e do desenvolvimento e da paz…

É importante perceberem a distinção de duas coisas: esta disciplina não tem intenção de impor nada aos alunos. Os alunos é que tomarão as suas decisões pelos conhecimentos que vão adquirindo. Segunda coisa: esta disciplina é muito diferente da Catequese. Uma não substitui a outra, mas completam-se. São, por isso, dois espaços distintos. Esta disciplina EMRC/Educação Moral, nas Escolas, desempenha uma função social, procurando que os alunos cheguem a um compromisso concreto na localidade. Se vós pais perceberdes que esta disciplina da Educação Moral completa claramente a formação dos alunos, não hesitareis em inscrever os vossos filhos.

É na idade escolar que os jovens conquistam a “liberdade”. Em primeiro lugar precisam de clarificar o que é “ser livre” porque muitos pensam que “ser livre” é “fazer o que cada um quer”. Mas esta liberdade é muito incompleta, porque nem tudo o que gostamos de fazer nos ajuda a ser “nós mesmos”.

O mais difícil e importante é chegar a ser donos de nós mesmos, dos nossos pensamentos e comportamentos, ser capazes de decidir o que é melhor para nós, e ter a coragem de combater as prisões  em que muitas vezes vivemos e que nós mesmos construímos. A liberdade não é um presente. É uma conquista difícil, uma luta de todos os dias. Só consegue ser livre quem luta para ser livre.

Ser livre é ter um “projeto próprio de vida” e segui-lo com esforço e fé, com renúncia e sacrifício, se for necessário.

Ser livre é acreditar em valores que constroem a nossa vida e a vida dos outros: justiça, trabalho, responsabilidade, amor, amizade, perdão, diálogo…É rejeitar os contravalores e formas de viver impostos pela sociedade atual que criam pessoas passivas e conformistas.

Termino com um ensinamento do nosso mestre deste ano, S. Paulo: “Foi para que nos tornássemos livres que Cristo nos libertou”; e ainda dum outro pedagogo que é o fundador do Escutismo: “Pela educação à liberdade”.

selo-acordo-ortografico

in FAROL

DIA MUNDIAL DA CRIANÇA

As nossas escolas preparam-se para assinalar o Dia Mundial da Criança.

A este propósito, partilho convosco este comovente filme “We see” sobre os direitos da criança feito por um menino indiano de 13 anos. O filme trata o tema da exploração infantil em todo o mundo e oferece uma visão positiva para o nosso futuro. Este filme foi feito e dirigido por crianças no Abrigo Muktaneer Boys em Kolkata, Índia.

É BOM TER AMIGOS…

Hoje, um amigo lembrou-se de mim: encaminhou-me até esta preciosidade…

Nós nunca estamos sozinhos! Há sempre um amigo que, quando menos esperamos, aparece e ajuda-nos a lavar a alma… e não é preciso muito: por vezes, basta apenas um vídeo.

Tenham um bom Domingo e aproveitem este curto tempo de pausa para visitar os amigos. Ter amigos é ter um tesouro!

DIA MUNDIAL DA DIVERSIDADE CULTURAL PARA O DIÁLOGO E DESENVOLVIMENTO

Símbolo do Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural (ACIDI, I.P)
Símbolo do Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural (ACIDI, I.P)

Este dia, 21 de Maio, vem assinalar a aprovação da Declaração Universal da UNESCO sobre a Diversidade Cultural que ocorreu em 2001.

Esta declaração eleva a diversidade cultural à categoria de “património comum da humanidade”, “tão necessária para a humanidade como a biodiversidade biológica para os organismos vivos” e cuja defesa é um imperativo ético indissociável do respeito à dignidade individual.

A Declaração, acompanhada das linhas gerais de um plano de acção, pode tornar-se uma formidável ferramenta de desenvolvimento.

Estas linhas constituem-se em orientações gerais que os Estados Membros, em colaboração com o sector privado e a sociedade civil (que somos todos nós), devem traduzir em políticas inovadoras.

————————————————————————————————
Fazei discípulos meus, não mestres;
fazei pessoas, não escravos;
fazei caminhantes, não gente instalada,
fazer servidores, não chefes.
Fazei irmãos.
Fazei buscadores da verdade, não senhores de certezas,
fazei poetas, não pragmáticos.
Fazei pessoas que arrisquem, não espectadores.
Fazei irmãos.
Fazei profetas, não cortesãos,
fazei gente inquieta, não satisfeita;
fazei pessoas livres, não escravos da lei;
fazei gente evangélica, não agoureira.
Fazei irmãos.
Fazei artistas, não soldados,
fazei testemunhas, não inquisidores.
Fazei amigos de caminho.
Fazei irmãos.
Fazei pessoas de encontro, com entranhas e ternura, com promessas
e esperanças, com presença e paciência, com missão e envio.
Fazei irmãos.
Fazei meus discípulos;
dai-lhes tudo o que vos dei e senti-vos irmãos.
Ulibarri Fl.

LEGISLAÇÃO RECENTE

Decreto-Lei n.º 124/2009. D.R. n.º 98, Série I de 2009-05-21 -Estabelece o regime jurídico aplicável ao trabalho voluntário nas escolas realizado por pessoal docente aposentado

Decreto Regulamentar n.º 8/2009. D.R. n.º 98, Série I de 2009-05-21 – Revoga o Decreto Regulamentar n.º 4/2006, de 7 de Março, que adaptou o sistema de avaliação do desempenho da Administração Pública à situação específica do pessoal não docente dos estabelecimentos públicos de educação pré-escolar e dos ensinos básico e secundário.

PROJECTO «MAIS SUCESSO ESCOLAR»

header_01O Ministério da Educação lançou um programa de apoio ao desenvolvimento de projectos de escola para a melhoria dos resultados escolares no ensino básico, com o objectivo de reduzir as taxas de retenção e de elevar a qualidade e o nível de sucesso dos alunos.

Os agrupamentos podem candidatar-se ao regime de acesso a este apoio até 1 de Junho através de uma aplicação electrónica disponibilizada na página da Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular (DGIDC).

Para mais informações, consultar: