PORTÁTIL MAGALHÃES – Como adquirir? (2)

Face à elevado número de comentários recebidos e aproveitando a informação fornecida pelo Coordenador TIC do meu Agrupamento, partilho aqui convosco toda a informação disponível até ao momento.

Informação para os Professores e Encarregados de Educação (também disponível em www.eescolinha.gov.pt)

Para aderir ao programa e.escolinha e obter o computador Magalhães, o encarregado de educação deve seguir os seguintes passos:

  1. Solicitar informação junto da escola e dos operadores de telecomunições aderentes, sobre as condições, respectivamente, de acesso ao programa e de acesso à Internet de banda larga.
  2. Preencher e assinar a ficha de inscrição e termo de responsabilidade facultados pela escola, optando por aderir ou não a um serviço de acesso à Internet.
  3. Efectuar o pagamento do computador Magalhães quando notificado pelo operador (e preencher o contrato de adesão a um serviço de Internet de banda larga, remetendo-o ao operador, no caso de ter optado por este serviço).
  4. Solicitar à escola informação sobre a situação da sua adesão, se assim o desejar.
  5. Aguardar pela entrega do computador Magalhães na escola.

O professor e a escola devem seguir os seguintes passos:

  1. Informar os encarregados de educação sobre o programa e.escolinha.
  2. Receber os documentos para adesão ao programa e.escolinha (ficha de inscrição e termo de responsabilidade) e facultá-los aos encarregados de educação.

TUDO O QUE DESEJA SABER SOBRE O MAGALHÃES:

Para Professores:

Para os Pais:

Ligações

Operadores

Outras ligações

A quem é dirigida a iniciativa e-escolinha?

São abrangidos por esta iniciativa todos os alunos matriculados no 1.º ciclo do ensino básico público e privado. (mais tarde, também estará disponível para os alunos dos 5º e 6º anos, como alternativa ao programa e-escola)

Que computador está disponível no âmbito desta iniciativa?

O computador portátil disponível é o Magalhães. É o primeiro computador com acesso à Internet montado em Portugal. É especialmente concebido a pensar nas crianças, mais resistente ao choque e a líquidos, mas que pode ser usado por toda a família. Vem equipado com conteúdos educativos especialmente seleccionados para os alunos do 1.º ciclo e permite o acesso à Internet na escola.

Quanto custa o computador portátil?

O custo depende das condições económicas das famílias, que se reflecte nos escalões da Acção Social Escolar (ASE) dos alunos:
– gratuito para os alunos do escalão A da ASE;
– 20 Euros para os alunos do escalão B da ASE;
– 50 Euros para os alunos não abrangidos pela ASE.

É obrigatória a adesão a serviços de acesso à Internet?
Não. A adesão a serviços de Internet é facultativa. No entanto, é importante garantir aos alunos o acesso à Internet em casa, que permitirá um maior aproveitamento das potencialidades pedagógicas e lúdicas do computador.

Inscrição

Quando é que estarão disponíveis os códigos para os alunos?
Os códigos de validação vão ser emitidos muito em breve. As escolas serão devidamente informadas pelo Ministério da Educação dos procedimentos a adoptar para aceder aos códigos. A emissão dos códigos será efectuada em duas fases por razões meramente técnicas, sendo a primeira dirigida ao ensino público e a segunda ao ensino privado. O Ministério da Educação tudo fará para encurtar os prazos entre estas duas fases.

Quando e como poderei efectuar a inscrição?
A inscrição ficará disponível muito em breve. Esteja atento ao sítio e-escolinha e às informações disponibilizadas pela escola.

Professores

Onde posso obter formação para utilização do Magalhães?
Todos os professores do 1.º ciclo vão receber formação para utilização do Magalhães em sala de aula, numa primeira fase, na sede agrupamento, em sessões organizadas pelo Coordenador TIC dos respectivos agrupamentos de escolas, numa segunda fase enquadrada pelo sistema de formação contínua de professores. Durante o mês de Setembro, os coordenadores TIC dos agrupamentos de escolas receberam formação neste âmbito em acções promovidas pelo Ministério da Educação em parceria com a Intel, Microsoft e Caixa Mágica.

Onde posso obter mais informações?
O sítio e-escolinha será permanentemente actualizado com todas as novidades relacionadas com a iniciativa e-escolinha. O Ministério da Educação fará chegar às escolas, através das vias de comunicação normais, informações sobre a iniciativa e-escolinha.

Alunos

O que posso fazer com o Magalhães?
Podes trabalhar e divertir-te. Podes preparar trabalhos para a escola, fazer postais de aniversário, pesquisar na Internet, construir histórias ilustradas, falar com família e amigos, ver e fazer vídeos, desenhar, jogar e aprender inglês, matemática e outras matérias.

Pais

Como posso ajudar o meu filho a utilizar o Magalhães?
É essencial que procure conhecer e acompanhar de perto a forma como os seus filhos se relacionam com o portátil. O acompanhamento dos seus filhos será mais eficaz se trabalhar e brincar com eles e com o Magalhães em ambiente familiar.

O que se pode fazer com o Magalhães?
O Magalhães vem já com alguns programas instalados. Alguns programas são adequados para as crianças trabalharem ou até brincarem em domínios relacionados com os currículos escolares. Outros programas permitem ainda desenvolver materiais, comunicar ou navegar na Internet. Em todos os computadores encontram-se instaladas ferramentas de segurança, que permitem aos pais acompanhar e orientar o uso dos portáteis pelos seus filhos (controlo parental).

Onde posso obter mais informações?
O sítio da Internet e-escolinha será permanentemente actualizado com todas as novidades relacionadas com a iniciativa e-escolinha. Pode também obter informações na escola do seu filho.

Anúncios

Portátil Magalhães – como adquirir?

//odia.terra.com.br/)
(Foto in http://odia.terra.com.br/)

.

Tenho recebido alguns mail’s e comentários sobre este assunto. Assim, resolvi colocar aqui a resposta que tenho enviado:

O portátil poderá ser adquirido por todos os alunos matriculados em qualquer ano de escolaridade do 1º ciclo do ensino básico e, proceder-se-á do seguinte modo (informação sujeita a posterior confirmação):

  1. No início do ano lectivo, em Setembro, os encarregados de educação deverão contactar a escola para manifestarem o interesse em adquirir o portátil e se pretendem ou não ligação à internet;
  2. A escola identifica os alunos interessados em aderir a este programa e.escolinha e informa também se o aluno é ou não abrangido pela acção social escolar;
  3. Depois, a escola receberá os portáteis e entregá-los-á aos alunos através dos encarregados de educação.

Quanto ao custo, o portátil:

  1. será gratuito para os alunos beneficiários do escalão A da acção social escolar;
  2. custará 20 euros para os que beneficiarem do escalão B;
  3. custará 50 euros a todos os outros.

Que os professores e as famílias saibam estar à altura destes novos desafios. De facto, a escola é um lugar excelente para os primeiros contactos com o computador.

As pessoas que aprendem a usar esta tecnologia na escola certamente terão menos dificuldades do que as que entram em contacto com ela apenas no mercado de trabalho. Além disso, poderão preparar-se melhor para as exigências cada vez maiores deste mundo globalizado.

Contudo, muitos professores e muitos pais ainda não têm a preparação suficiente para dar um “bom” uso a este instrumento tão útil para as nossas crianças na motivação para as aprendizagens, nas tarefas de trabalho de casa, etc, etc…. É preciso que a escola e a família aprendam a cooperar… também neste domínio.

Segundo “O Dia Online“, no Brasil, desde o dia 20 de Agosto de 2007 o colégio GayLussac, utiliza os portáteis na sala de aula. Transcrevo dois testemunhos de alunos:

  • “…nós fazemos deveres de casa, agenda, textos, ouvimos arquivos de som e aprendemos com as imagens também”;

  • “Eu nunca tinha mexido em um antes e tinha a maior curiosidade. É bom trabalhar com ele porque é mais fácil de escrever e tem várias utilidades”;

Perspectivas acerca da leitura – Revista Iberoamericana de Educação

Estamos em férias… por isso, umas leituras não fará mal a ninguém…

  • Gustavo Bombini, “La lectura como política educativa” – Formato PDF
  • Liliana Tolchinsky, “Usar la lengua en la escuela” – Formato PDF
  • Sandra Maria Sawaya, “Leitura, práticas escolares e a reforma da alfabetização no Brasil” – Formato PDF
  • Rosa Valls, Marta Soler, Ramón Flecha, “Lectura dialógica: interacciones que mejoran y aceleran la lectura” – Formato PDF
  • Fabio Jurado Valencia “La formación de lectores críticos desde el aula” – Formato PDF
  • Judith Kalman, “Discusiones conceptuales en el campo de la cultura escrita” – Formato PDF
  • Susana Gonçalves, “Aprender a ler e compreensão do texto: processos cognitivos e estratégias de ensino” – Formato PDF
  • Marcos Santos Gómez, “Ideas filosóficas que fundamentan la pedagogía de Paulo Freire” – Formato PDF
  • Manuel Gómez López, Alfonso Valero Valenzuela, Ismael Peñalver López, Mercedes Velasco da Silva, “El trabajo de la motricidad en la clase de Educación Física con niños autistas a través de la adaptación del lenguaje Benson Schaeffer” – Formato PDF
  • Alfonso Barca Lozano, Manuel Peralbo Uzquiano, Ana María Porto Rioboo, Juan Carlos Brenlla Blanco “Contextos multiculturales, enfoques de aprendizaje y rendimiento académico en el alumnado de educación secundaria” – Formato PDF